Município de Almodôvar

Notícias

Congresso Internacional dos Recursos Silvestres

Congresso Internacional dos Recursos Silvestres

Decorrido em Almodôvar, no Fórum Cultural do Convento de Nossa Senhora da Conceição, o evento foi promovido no âmbito da Estratégia de Eficiência Coletiva “Valorização dos Recursos Silvestres do Mediterrâneo” e pretendeu demonstrar e debater as potencialidades, gestão e valorização dos recursos endógenos dos territórios do Baixo Alentejo e Interior Algarvio.
Durante o primeiro dia do Congresso estiveram em debate casos internacionais de desenvolvimento territorial associados às potencialidades dos recursos silvestres. A investigação, inovação e novas tecnologias na transformação dos recursos silvestres foram tema do segundo dia do Congresso, data para onde foram também agendados workshops dedicados ao mel, plantas aromáticas e medicinais e medronho. Em permanência durante os dois dias, esteve patente uma exposição e venda de recursos silvestres.


Com um programa preenchido por oradores de Cabo Verde, França, Brasil, Itália, Espanha e, naturalmente, de Portugal, o Congresso teve lotação esgotada, mais de 130 participantes. A Sessão de Abertura foi presidida Senhor Presidente da Câmara Municipal, António Sebastião, por António Costa da Silva, vogal executivo do Inalentejo, e por João Basto, Presidente de Administração da EDIA.
Nesta sessão de abertura foi assinado o Protocolo “Academia das Plantas Aromáticas e Medicinais do Alqueva”.

Recursos Endógenos: Redescobrir, Inovar, Valorizar“

Redescobrir”, “inovar” e “valorizar” foram muito provavelmente as três palavras mais ouvidas ao longo dos dois dias de Congresso, três conceitos que aplicados à importância vital dos recursos endógenos para o desenvolvimento de regiões menos populosas, como a de Almodôvar, conduzem a três ações: “produzir”, “transformar” e “comercializar”. Tem sido esse o lema do projeto PROVERE, liderado pela Câmara Municipal de Almodôvar e promovido em parceria por um conjunto de Municípios, Associações de Desenvolvimento Local e Entidades dos setores Empresarial e de Investigação Pública e Privada.
António Sebastião sintetiza a linha condutora do Congresso Internacional dos Recursos Silvestres: “os produtos endógenos dos territórios, como o sejam medronho, o mel, as plantas aromáticas e medicinais, são produtos valiosíssimos a ter em conta, vetores fundamentais do desenvolvimento sustentado e sustentável das regiões. Mais do que isso, são a chave para o sucesso - têm grande qualidade e, a par, podem produzir riqueza, criar empresas e gerar emprego em regiões onde atualmente se assiste a um acentuado despovoamento e onde o tecido empresarial é fraco”.