Município de Almodôvar

Notícias

Festival Terras sem Sombra em Almodôvar

Pierre Hantaï, mestre do cravo,
interpretou Bach, Handel e Scarlatti à luz de velas

No 16 de Abril a igreja Matriz de Almodôvar recebeu um concerto do cravista francês Pierre Hantaï, intitulado “Peregrinações”. O espectáculo girou em torno da música para tecla do século XVIII e incidiu em obras dos grandes autores deste período: Johann Sebastian Bach (1685-1750), George Frideric Handel (1685-1759) e Domenico Scarlatti (1685-1757). A actuação realizou-se numa atmosfera de quase penumbra, exclusivamente iluminada por velas, o que reforçou a singular espiritualidade da Igreja,uma das mais belas igrejas maneiristas do Alentejo, dotada de uma acústica notável para o cravo. No tricentenário do seu nascimento, o concerto prestou homenagem à infanta de Portugal e rainha consorte de Espanha, D. Maria Bárbara (1711-1758), personalidade que influenciou a vida musical europeia durante boa parte do século XVIII.
Nascido em 1964, Pierre Hantaï apaixonou-se aos 10 anos pela música de Bach. É unanimemente considerado pela crítica como o mais importante intérprete da actualidade, ao nível internacional, do repertório barroco para cravo.
Preservação de espécies em extinção
Após o concerto, na manhã de domingo, 17 de Abril, Hantaï participou em duas acções pela biodiversidade, integradas também no âmbito da edição de 2011 do Festival Terras Sem Sombra. A primeira decorreu na Ribeira do Vascão, que marca a fronteira entre o Alentejo e o Algarve e é reduto de endemismos ameaçados pela seca e pela poluição. Aqui, a acção foi direccionada ao controlo de espécies exóticas na ribeira do Vascão, que põem e perigo uma das mais ameaçadas e sensíveis espécies piscícolas da Europa, e da qual restam pouquíssimos exemplares, sendo classificada com o máximo nível de risco – “criticamente em risco”: o saramugo (Anaecypris hispanica).
Da ribeira do Vascão passou-se à igreja de Santa Cruz, santuário regional muito conhecido a partir dos finais da Idade Média e que abriga uma importante colónia de morcegos da qual fazem parte diversas espécies em perigo de extinção. Pierre Hantaï colaborou, aqui, na colocação de abrigos para estes mamíferos voadores, cujo Ano Internacional se celebra em 2011.
Estas iniciativas pretenderam alertar para a preservação da biodiversidade da bacia do Guadiana, do ponto de vista tanto da fauna como da flora, focando espécies que constam com o grau máximo de risco nos registos internacionais – o seu desaparecimento representa uma perda irreparável.